Vínculo Genético - Teste de Paternidade

O Teste de Paternidade e/ou Teste de DNA trata da investigação de um possível vínculo genético entre indivíduos. Esse nome ganhou notoriedade ao ser aplicado principalmente para comprovar se um homem é realmente o pai de determinada criança em casos de suspeita de paternidade. Pode também ser utilizado para comprovar maternidade, como em casos de possíveis trocas de bebês.

O teste analisa 22 ou mais regiões do genoma dos indivíduos investigados. Tendo em vista que cada indivíduo possui 50% do seu genoma herdado da mãe e os outros 50% herdados do pai, é possível, por comparação dos resultados, fornecer laudos com grau de certeza acima de 99,99%.


Diagnóstico laboratorial



O Laboratório Del Porto utiliza alta tecnologia na realização de seus testes. Para análise de vínculo genético, é utilizada a técnica de STR-PCR em eletroforese capilar, utilizando analisador genético (sequenciador automático) validado para teste de identificação humana.


Material para coleta



O Laboratório Del Porto todo o material para coleta, disponibilizando um kit personalizado para atender às necessidades dos laboratórios e clientes, sempre seguindo os rigorosos padrões de qualidade estabelecidos pela ANVISA.


Laudo digital


O Laboratório Del Porto oferece o acesso digital ao Laudo do Teste de Paternidade, este recurso apresenta muito mais segurança, por não ter seu envio por vias físicas, diminuindo consideravelmente o risco de trocas, perdas ou fraudes.


Adicionalmente, o laudo chegará com mais agilidade, sendo liberado instantaneamente pela Divisão de Biologia Molecular por meio do interfaceamento dos sistemas de gestão de informação laboratorial. Para cada acesso através de um sistema de segurança recentemente implantado, será gerado um token específico de acesso.



Referências


1. Parentage Testing Accreditation. American Association of Blood Banks. 3a, 1998.

2. Aguiar VR et al. Updated Brazilian STR allele frequency data using over 100,000 individuals v.6, n.4, pp.504-9, 2012.

3. Butler JM. Short tandem repeat typing technologies used in human identity testing. Biotechniques. v.43, n.4, 2007.

4. Krenke BE et al. Validation of a 16-locus fluorescent multiplex system. J Forensic Sci, n.47, v.4, pp.773-85, 2002.

5. Oostdik K et al. Developmental validation of the PowerPlex® Fusion. Forensic Sci Int Genet. v.12, pp.69-76, 2014.

6. SWGDAM. Interpretation Guidelines for Autosomal STR Typing by Forensic DNA Testing Laboratories, 2010.

Fique por dentro das nossas novidades

Cadastre-se agora!